NESCON MEDICINA UFMG Homepage NESCON
Morbidade hospitalar em crianças indígenas Suruí menores de dez anos, Rondônia, Brasil: 2000 a 2004
Tipo:
Artigo
Referência:
ORELLANA, Jesem Douglas Yamall et al. Morbidade hospitalar em crianças indígenas Suruí menores de dez anos, Rondônia, Brasil: 2000 a 2004. REVISTA BRASILEIRA DE SAÚDE MATERNO INFANTIL. Recife, v. 7, n. 3, p.281-287,
Outro(s) Autor(es):
Descritor(es):
Resumo:
Objetivos: analisar o pefil da morbidade hospitalar de criancas indigenas atendidas na rede de servicos do Sistema Unico de Saude. Metodos: foram investigados 380 registros de internacao hospitalar de criancas indigenas Surui menores de 10 anos de idade atendiads na rede hospitalar do municipio de Cacoal, Rondonia, a partir de dados coletados no Hospital Materno-Infantil, instituicao publica, e no Hospital Infantil e Maternidade Menino Jesus, instituicao particular, no periodo de 2000 a 2004. Esses dois hospitais concentram o atendimento a indigenas no municipio. Utilizou-se a Classificacao Internacional de Doencas (CID), 10.ª revisao, para a classificacao dos diagnosticos. Resultados: as doencas do aparelho respiratorio - Cap. X (58,2%) figuraram como o principal motivo de internacao hospitalar. Doencas infecciosas e parasitarias (Cap I) apresentaram-se como a segunda maior causa (35,0%) e afeccoes originadas no periodo perinatal (Cap XVI) como a terceira (3,2%). Outras causas contribuiram individualmente com menos de 1,5%do total, que somadas nao atingiram 4%. A maioria das internacoes (65,5%) foram de criancas 2 anos de idade. O tempo medio de internacao foi significativamente superior no hospital publico em relacao ao privado. Conclusoes: o perfil de morbidade hospitalar observado nas criancas Surui evidencia nao somente a precariedade das suas condicoes de saude, como tambem problemas estruturais no que tange as acoes de atencao basica. Recomenda-se a realizacao de estudos que visem aprofundar aspectos epidemiologicos relacionados as internacoes hospitalares em populacoes indigenas, fundamentais para o desenvolvimento de acoes de saude mais adequadas.