NESCON MEDICINA UFMG Homepage NESCON

Assistência ao pré-natal de baixo risco na estratégia de saúde da família e seus desafios - uma revisão de literatura
Tipo:
Trabalho de Conclusão de Curso
Referência:
Outro(s) Autor(es):
Descritor(es):
Informações Pedagógicas:
(Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família)
Resumo:
Momentos especiais na vida da mulher, a gravidez, o parto e o puerpério constituem-se eventos fisiológicos que se desenvolvem em um contexto social e cultural que influencia e determina a evolução da gravidez bem como a sua assistência O acompanhamento ao pré-natal é fundamental na preparação da maternidade segura e saudável. Deve sempre ter o enfoque na prevenção de intercorrências clínico-obstétricas e assistência emocional durante todo o período gestacional. Este estudo foi realizado com o objetivo geral de discorrer sobre assistência prestada à gestante, durante o pré-natal de baixo risco na Estratégia de Saúde da Família, bem como os principais desafios encontrados. Trata-se de uma revisão bibliográfica narrativa desenvolvida junto a nove trabalhos científicos publicados no período de 1989 a 2010. Foram desenvolvidos temas sobre: aspectos epidemiológicos da morbimortalidade infantil em relação com o pré-natal; o pré-natal e sua importância; políticas públicas na atenção ao pré-natal; assistência ao pré-natal de baixo risco e desafios da assistência ao pré-natal de baixo risco. O Programa de Saúde da Família vem permitir, durante o atendimento do pré-natal, uma melhor compreensão das situações vividas pela mulher em seu contexto social, e possibilita uma atuação pautada num diálogo mais completo. O pré-natal quando realizado com qualidade e humanização desempenha importante papel na redução da mortalidade materna e infantil. Informações sobre as diferentes vivências devem ser trocadas entre as mulheres e os profissionais de saúde. Essa possibilidade de intercâmbio de experiências e conhecimentos é considerada a melhor forma de promover a compreensão do processo de gestação. Assim, cabe aos profissionais de saúde promover ações de saúde de promoção, prevenção durante a assistência à mãe e à criança a fim de atender às necessidades da população de gestantes. Espera-se que este estudo contribua para reflexão dos profissionais de saúde, especialmente o enfermeiro, visando uma assistência à gestante cada vez mais humanizada e cientifica.