NESCON MEDICINA UFMG Homepage NESCON

Referências

    NICACIO, C. S.; OLIVEIRA, R. C. A mediação como exercício de autonomia: entre promessa e efetividade. In: DIAS, M. T. F.; PEREIRA, F. H. U. (Org.). Cidadania e inclusão social: estudos em homenagem à Professora Miracy Barbosa de Sousa Gustin. Belo Horizonte: Fórum, 2008. p.111-119
    MAXIMILIANO, A. C. A. Administração de projetos: transformando ideias em resultados. São Paulo: Atlas, 1997.
    TOLSTOI, L. N. Anna Kariênina. São Paulo: COSAC Naify, 2005.
    FLEURY-TEIXEIRA, P. et al. Autonomia como categoria central no conceito de promoção de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, supl.2, p. 2115-2122, 2008. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2009.
    AKERMAN, M., MENDES, R., BóGUS, C.M. Avaliação participativa em promoção da saúde: reflexões teórico-metodológicas. In: BOSI, M. L. M.;
    MERCADO, F. J. (Org.). Avaliação qualitativa de programas de saúde: enfoques emergentes. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006
    BIODIGESTORES. Cidades e Soluções. Produção: André Trigueiro. Petrópolis: Rede Futura; Rede Globo, nov. 2008. Windows Media Player (9 min.).
    ALARCóN, P. J. L. Cidadania. In: DIMOULIS, D. (Coord.). Dicionário brasileiro de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2007. p. 50-53.
    ARMANI, D. Como elaborar projetos: guia prático para elaboração e gestão de projetos sociais. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2002.
    BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 outubro 1988. 41. ed. São Paulo: Saraiva, 2008.
    CHAUí, M. Convite à Filosofia. São Paulo: Editora ática, 2002.
    MORAES, A. Direito constitucional. 21ª ed. São Paulo: Atlas, 2007.
    DALLARI, D. A. Direitos humanos e cidadania. São Paulo: Moderna, 1998. p.14
    CAMPOS, A. E. M.; ABEGÃO, L. H.; DELAMARO, M. C. Elaboração e monitoramento de projetos sociais. Rio de Janeiro: UFRJ. (Coleção Gestão de Iniciativas Sociais, v. 7). Disponível em: . Acesso em: 29 jan. 2008.
    CAMPOS, A. E. M.; ABEGãO, L. H.; DELAMARO, M. C. Elaboração e monitoramento de projetos sociais. Rio de Janeiro: UFRJ. 2005 (Coleção Gestão de Iniciativas Sociais, v. 7). Disponível em: . Acesso em 18 set 2009.
    DALLARI, D. A. Elementos da teoria geral do estado. 28. ed. São Paulo: Saraiva, 2009. 95p.
    Empowerment?
    SIX, J. Empowerment? In: _______. Les Cahiers de la médiation. Paris: Centre National de la Médiation, 2003. p. 1-21
    PFEIFFER, P. Gerenciamento de projetos de desenvolvimento: conceitos, instrumentos e aplicações. Rio de Janeiro: Brasport, 2005.
    JANNUZZI, P. M. Indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas. Disponível em: . Acesso em: 05 mai. 2010.
    CORRÊA, E. J. et al. Iniciação à metodologia científica: participação em eventos e elaboração de textos científicos. Belo Horizonte: Nescon, Coopmed, 2009.
    ALMEIDA FILHO, Naomar de e ROUQUAYROL, Maria Zélia. Introdução à Epidemiologia Moderna. 2. ed. Belo Horizonte/Salvador/Rio de Janeiro: COOPMED/APCE/ABRASCO, 1992.
    BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de saneamento. 3. ed. Brasília: Fundação Nacional da Saúde, 1999A.
    LEGEN, J.VAN. Manual do arquiteto descalço. Porto Alegre: Livraria do Arquiteto, 2004.
    BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Secretaria de Assistência à Saúde. Manual para a organização da atenção básica. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 1999b.
    LUCK, H. Metodologia de projetos: uma ferramenta de planejamento e gestão. Petrópolis, Vozes, 2003.
    BERNARDO, M.; MELO, L. (Org.). O fio da meada: de onde vem a mudança?  reflexões sobre desenvolvimento local. São Paulo: Peirópolis; Brasília, DF: IEB-Instituto Internacional de Educação do Brasil, 2005. cap. 6, p. 327-343.
    AFONSO, L. Oficinas em dinâmica de grupos: um método de intervenção psicossocial. Belo Horizonte: Campo Social, 2002.
    CARDOSO, F. C. Planejamento e avaliação das ações de saúde. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008
    CORRÊA, E. J.; SENA, R. R. Planejamento e elaboração de projetos para grupos comunitários. 2 ed. Belo Horizonte: Nescon, 2009. (publicação on-line). STRABELI, J. Gestão de associações no dia-a-dia. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2005.
    BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO – BID. Planejamento participativo: análise de interesses e árvore de problemas. Disponível em: . Acesso em: 29 jan. de 2008.
    MATUS, C. Política, planejamento & governo. Brasília: IPEA, 1993. Tomo II.
    BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 648 GM, de 28 mar. 2006. Aprova a política nacional da Atenção Básica estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da atenção básica para o Programa Saúde da Família - PSF par o Programa de Agente Comunitário de Saúde.PACS. Brasília, DF, 2006.
    FARIA, H. P. et al. Processo de trabalho em saúde. 2 ed. Belo Horizonte: Nescon UFMG,Coopmed, 2009.
    Projeto de Gestão Ambiental-ProGAU/GTZ
    PFEIFFER, P. Glossário GPD. In: ______. Projeto de Gestão Ambiental-ProGAU/GTZ. Cooperação Técnica Alemã com a Caixa Econômica Federal. Disponível em: Acesso em: 12 jun. 2008.
    Projeto Redevisa: planejamento participativo em Vigilância Sanitária
    BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Projeto Redevisa: planejamento participativo em Vigilância Sanitária. Brasília, DF: ANVISA, 2003.
    SANTOS, L. C. Projetos sociais: fragmentos de ensinamentos. Programa Gestão de Organizações-PGO, Salvador, v.1, n. 4, p.39-59, 2003.
    MIGUEL, L. F. Promessas e limites da democracia deliberativa. Revista Brasileira de Ciencias Sociais, São Paulo, v.16, n.46, p.175-177, 2001. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2009.
    BUSS, P. M. Promoção da saúde de qualidade de vida. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 163-177, 2000.
    CARVALHO NETTO, M. Requisitos pragmáticos da interpretação jurídica sobre o paradigma do Estado Democrático de Direito. Revista de Direito Comparado, Belo Horizonte, v 3 n.5 p. 473-486, 1999.
    SANTOS, A. D. S. (Org.). Revisitando o conceito de espaço público. In: INSTITUTO INTERNACIONAL PARA A EDUCAÇÃO DO BRASIL. Metodologias participativas: caminhos para o fortalecimento de espaços públicos socioambientais. São Paulo: Peirópolis, 2005. p. 51-69.
    SANEAMENTO Básico. Direção: Jorge Furtado. Produção: Nora Goulart e Luciana Tomasi. Intérpretes: Fernanda Torres (Marina) ;Wagner Moura (Joaquim); Camila Pitanga (Silene); Bruno Garcia (Fabrício); Lázaro Ramos (Zico); Janaína Kremer (Marcela); Tonico Pereira (Antônio); Paulo José (Otaviano); Sérgio Lulkin; Marcelo Aquino; Zéu Brito; Lúcio Mauro Filho; Margarida Leoni Peixoto; Irene Brietzke; Sandra Possani; Felipe de Paula; Milene Zardo. Direção de fotografia: Jacob Solitrenick. Roteiro: Jorge Furtado. Música: Leo Henkin Distribuição: Columbia Pictures do Brasil. 112 minutos. Brasil 2007.
    BUSS, P. M. Uma introdução ao conceito de promoção da saúde. In: CZERESNIA, D.; FREITAS, C.M. (Org.). Promoção da saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2003. p. 16.