NESCON MEDICINA UFMG Homepage NESCON

Desnutrição

    BARROS, R. P. de; HENRIQUES, Ricardo; MENDONçA, Rosane. A estabilidade inaceitável: desigualdade e pobreza no Brasil. Textos para discussão, n. 800, jun. 2001. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2010.
    Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de atenção Básica. Alimentação e Nutrição. Disponível em: http://nutricao.saude.gov.br/publicacoes.php
    Sawaya AL. Alterações fisiopatológicas na desnutrição energético-protéica. Disponível em: http://www.cren.org.br/downloads_pdf/download_03_alteracoes_fisiopatologicas.pdf
    Brasil. Ministério da Saúde. Antropometria: como pesar e medir. Disponível em: http://nutricao.saude.gov.br/documentos/album_antopometria.pdf
    Goulart EMA, Corrêa EJ, Leão E, Xavier CC, Abrantes MM. Avaliação do crescimento. In: Leão E, Corrêa EJ, Mota JAC, Viana MB. Pediatria Ambulatorial. 4ª ed. Belo Horizonte: Coopmed, 2005. p. 314-20.
    Centers for Disease Control and Prevention. Growth charts. Disponível em: http://www.cdc.gov/growthcharts.
    Unicef. Situação da Infância Brasileira 2006. Crianças de até 6 anos: O direito à sobrevivência e ao desenvolvimento. Disponível em: http://www.unicef.org/Brazil_SitAn_2006.pdf.
    Figueiredo Filho PP, Figueiredo RPC, Leão E, Lamounier JA. Desnutrição. In: Leão E, Corrêa EJ, Mota JAC, Viana MB. Pediatria Ambulatorial. 4ª ed. Belo Horizonte: Coopmed; 2005. p 314-20.
    Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS). Brasil. Desnutrição e má nutrição. Informativo. Disponível em: http://www.opas.org.br/sistema/fotos/nutricao.htm
    Goulart LMHF, Amaral TM. Desnutrição energético-protéica. In: Alves CRL, Viana MRA. Saúde da Família: cuidando de crianças e adolescentes. Belo Horizonte: Coopmed; 2006. p. 135-43.
    Sawaya AL. Desnutrição urbana no Brasil em um período de transição. São Paulo: Cortez; 1997. 231 p.
    Monte C. Desnutrição: um desafio secular à nutrição infantil. J Pediatr. 2000;76 (supl 3):S285-97 Disponível em: http://www.jped.com.br.
    Grisi S, Yassuhiko O, Sperotto G. Estratégia Atenção Integrada às doenças prevalentes da Infância – AIDPI. São Paulo: Organização Pan-Americana da Saúde. Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; 2004.
    Brasil. Ministério da Saúde. Manual de atendimento da criança com desnutrição grave em nível hospitalar. Brasília: Ministério da Saúde; 2005. 142 p. Disponível em: http://www.opas.org.br/familia/UploadArq/desnutricao_grave.pdf.
    Aerts DRGC, Giugliani ERJ. Desnutrição. In: Duncan BB, Schmidt MI, Giugliani ERJ. Medicina Ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidência. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. p 269-75.
    Valle NJ, Santos IS, Gigante DP. Nutritional interventions and child growth among under-two-year-olds: a systematic review. Cad. Saúde Pública. 2004;20(6): p.1458-67. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v20n6/03.pdf
    Batista Filho M, Rissin A. Nutritional transition in Brazil: geographic and temporal trends. Cad Saúde Pública. 2003;19 (supl 1): S181-91.
    Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição – PNSN (1989). Disponível em: http://dtr2004.saude.gov.br/nutricao/documentos/PesquisaNacSaudeNutricao.pdf.
    Organização Mundial de Saúde (OMS). Severe Malnutrition. Disponível em: http://www.who.int/nutrition/topics/malnutrition/en/index.html.